domingo, 16 de dezembro de 2012

O RPG além de D&D #01 - Mundo Perfeito

"Um jogo de ação, futurismo, subversão, ciência e a imperfeição da perfeição. Mundo Perfeito é ambientado em realidades virtuais surreais repletas de uma maioria de pessoas felizes e uma minoria inconformada."



Este é um novo sistema de RPG idealizado por John Bogéa (em noites frias do carnaval de 2012) é um RPG de ficção científica muito diferente de tudo já visto antes. 

Está disponível para download o protótipo do jogo na página do Mundo Perfeito no facebook

Enquanto você faz o download, confira a descrição feita pelo autor:

"A internet evoluiu ao seu estado máximo de acessibilidade e interação, mudou os rumos da humanidade e ditou um novo estilo de vida, de existência. Os usuários estão mais do que simplesmente navegando pela rede, eles estão de fato dentro da rede, simplesmente migraram de realidade, onde vivem suas vidas normalmente, assim como fariam no mundo real, só que de forma muito mais customizável e interessante. Todos os sentidos estão completamente conectados aos computadores, nervos e consciência entre cabos, chips e silício.

No ambiente virtual as pessoas são mais felizes, bem-sucedidas, famosas, constituem famílias, fazem história, gozam de um tipo de artificialidade viciante, vibrante e personalizável, tão encantadora que o mundo real deixou de ser interessante, se tornou um tanto quanto desnecessário, quase um estorvo. Parece um absurdo degradante aos olhos de uma pessoa do século XXI, mas, neste século, abrir mão do mundo real é perfeitamente plausível – mais do que lógico. E lá que as coisas realmente acontecem, onde realmente se pode ter uma vida agradável, passear por paisagens customizadas, ter amigos artificialmente simpáticos e relações amorosas pré-programadas. Um mundo perfeito. 

No entanto, nem todos estão felizes com essa perfeição (e nem todos a desejam), uma minoria subversiva chama essa condição alienante de “A Ditadura da Perfeição”, em que as pessoas passivamente aceitam o que é imposto, sem pensar, sem questionar, apenas gozam do que lhe é dado como cordeiros obedientes ofuscados por luzes bonitas e brilhantes. Essa classe inconformada luta pelo direito a identidade, pela diversidade, pela revolução da consciência. Mas para isso, terão que enfrentar forças reacionárias que lutarão pela ordem da perfeição."

7 comentários:

  1. Achei o jogo ruim, Jonh Bogéa não é especialmente famoso por ser um grande criador de jogos, e aqui é escancarado. O cenário tem a profundidade de um pires e as regras novamente são tão básicas que nada no jogo ajuda o mestre em coisa nenhuma.

    O cenário basicamente só diz que você é um rebelde sem causa (já que eu mesmo não vi motivo pra essa busca pela anarquia desenfreada) o que fica ainda pior se considerar que nem isso é relevante, o jogo diz que você pode fazer uma ilha e ir morar lá pra sempre então pra que tentar convencer todo o resto do mundo? Enre outras coisas como a falta de carisma geral de tudo, o "inimigo" é o governo e é inimigo só por isso. É uma ambientação vazia.

    Eu sei que tem gente que gosta de poucas regras, mas ter apenas UM atributo [navegação] é exagero.

    Alem disso não existe indicação de como se faz testes nesse jogo, pelo que entendi você rola 1d20 e soma um bônus de +0 ou+1 ou +4. Não existem (ou talvez exista e livro não fala) penalidades ou traços que recebam bônus maiores que isso. EXCETO quando se trata de usar armas, ai o bônus pode aumentar novamente em até +4. O que não é ruim já que incentiva todos a sair na porrada o tempo todo (o teste pra convencer alguém a não atirar sera 1d20+1, acertar ele com a espada é 1d20+5 ou 1d20+8) viva a violência.

    E ainda temos que agradecer por ter regras de combate, por que não existe NENHUMA outra regra pra mais nada. E curiosamente pra um mundo virtual onde você poderia simular ser um anjo ou um super-homem não tem nada sobre poderes ou habilidades, a unica habilidade do jogo é usar o Bullet Time, que pode ser interessante pra uma cena de ação, mas certamente não ajuda muito em dar profundidade ao personagem, até por que nem todo mundo quer ser o Neo.

    Uma coisa curiosa que notei e nem sei por que está ali é ele falar que o jogo é um mundo virtual e existe um mundo real já que o mundo real é completamente irrelevante. Se não tivesse dito nada poderia ser uma surpresa interessante descobrir isso, algo próximo da metáfora da caverna. Pena, mais uma oportunidade perdida por falta de aprofundamento.

    Aé e o jogo não diz como se ganha ou gasta dinheiro, embora fale por alto de economia eu não vejo por que alguém trabalha pra comprar comida em um lugar que ninguém come.

    A unica desculpa aceitável pra esse amadorismo é ele ter criado o jogo em um tempo muito curto (uma semana talvez), se o foi parabéns, teria sido melhor não fazer arte nenhuma e encher de figuras e pensar melhor no conteúdo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, Serial101, Acho que pouca coisa que você falou é verdade, o resto... Vou te responder questão por questão. O jogo tem sim uma profundidade e complexidade grandes. Você diz que o cenário é vazio, mas você leu alguma vez o sistema? Há 5 grandes parágrafos falando do motivo da rebeldia dos hiperpunks.

      Um atributo é mais do que o suficiente para o jogo. Você queria o quê? Que o autor colocasse os clássicos Força, Destreza, Constituição e assim por diante? Lembre-se que é um mundo virtual. Força, Destreza e o resto dos atributos até iriam para um sistema steampunk ou cyberpunk, mas como você controla apenas seu avatar, Navegação engloba muito bem todos os 6 clássicos atributos dos jogos ao estilo de D&D.

      Vou perguntar pela segunda vez: Você leu o sistema? Diz você que "não existe indicação de como se faz testes nesse jogo," mas o que há na página 18, hein? Uma grande palavra: "TESTES"
      e Há ainda 7 parágrafos sobre o teste resistido e ainda há mais 4 sobre o teste solo. E nem vou falar dos testes de trabalho em equipe e as tarefas prolongadas.

      E tudo não é violência nesse jogo. Há os plug-ins e os add-ons. Com eles, é possível ganhar bônus para quase tudo, se você tiver os add-ons e os plug-ins certos. Então se quiser
      "convencer alguém a não atirar", se você tiver um plug-in, vamos dizer, de um rosto que seja possível intimidar a pessoa, e um add-on "Intimidação", você pode conseguir um bônus de +4 somado ao seu valor de Navegação, que se for de +1, você pode fazer um teste de 1d20+5. Mais do que você conseguiria com o bônus de combate. Viva a inteligência. Não a sua, pelo visto.

      Terceira vez: Você leu o sistema? Diz você: "E ainda temos que agradecer por ter regras de combate, por que não existe NENHUMA outra regra pra mais nada". Há regras para Vantagem/Desvantagem circunstancial, Para criar pacotes de Add-ons e Plug-ins, e nem vou falar dos testes de trabalho em equipe e as tarefas prolongadas.

      Sobre o mundo virtual e mundo real completamente irrelevante, falando isso, ele aprofundou o cenário, dando uma escala mundial ao mundo virtual, o que não foi uma surpresa, mas uma
      informação muito esclarecedora sobre o que estamos fazendo.

      A única coisa em que eu concordo com você é o fato da economia, em que o autor poderia ter estipulado uma moeda, nem que fossem créditos. Você diz "Aé e o jogo não diz como se ganha ou gasta dinheiro". Mas ele fala na página 8 sobre a economia única, baseada apenas em cartões de crédito. E lembrando que as pessoas podem ficar anos sem precisar de comida, mas com um mundo tão realista, a Hipernet deve criar um efeito no cérebro que faz com que ele sinta fome.

      E quanto ao "amadorismo" do autor, você já fez um sistema? Pelo menos já mestrou alguma vez?

      Mundo perfeito ganhou o 1º lugar do concurso da secular games, o "Faça você mesmo". É um sistema com conteúdo.

      Mas não é ainda um sistema completo. É só um fastplay. Há erros. Tem coisa faltando, mas até agora só consigo pensar no fator da moeda.

      O que me faz falar: LEIA O SISTEMA, PALAVRA POR PALAVRA, ANTES DE FALAR ALGUMA MERDA.

      -Elder Darksoul.

      Excluir
  2. Sim li, se quizer eu quoto a pagina 31 que diz que os hiper punks se revoltam por que as pessoas se revoltam: "Ora, lutam pelas mesmas coisas que todos os grupos subversivos lutaram no decorrer da história da humanidade."

    Ou seja, eles lutam por que as pessoas lutam, se as pessoas nao lutassem eles não tem nenhum motivo pra lutar.


    Não precisa copiar D&D, mas que tenham tres atributos, refinamento (ou equivalmente a uma destreza mental), vontade (uma resistência), raciocinio (para velocidade de pensamento), conhecimento (que pode ser dividido em diversos tipos, afinal eu não sei fazer edição de livros só pq eu consigo navegar na internet). Se isso não tem nenhum sentido pra vc favor ir pra faculdade já que como um bom blogeiro vc tambem deve ser um epecialista em fisica quantica.
    Eu li, lá nem diz qual o dado que se usa, e na parte que diz que se rola o D20 ele dá exemplos de vc rolar MAIS de um D20, quando o sistema SÓ rola um dado. SEMPRE.

    as outras questões do sistema são exatamente isso +1 em 1d20 é completamente irrelevante, exatamente por conta disso, vc é um "mentiroso" recebendo +1 com um dos 3 pontos q vc ganha no começo, e só, se vc gasta um com isso, um com reconhecer mentira e um com um corpo bonitão parabens, nem saber uma segunda lingua vc sabe, ou pular ou mesmo lutar, e por NÃO saber lutar vc tem 1 a menos que um soldado treinado com plugin pra isso. parabens campião grande customização.



    Sim criei, e mestro TODA a semana a mais de ano. Inclusive com a mesma tematica. e é por conhecer esses outros sistemas (bem mais bem feitos) que eu vejo que ausencia de regra só gera confusão e estupidez, M&M por exemplo tem regra pra caralho, mas não atrabalha em nada a narração, ou primetime adventures que tem menos regras mais funciona bem (não tão bem assim já que se todos concordarem nada dá certo), até outros jogos do Bogéa eu mestrei, terra devastada por exeplo e criei até mod (um de super herois, modestia a parte ficou melhor foi só tirar os zumbis o resto do sistema já rodada muito bem pra matar 10 pessoas), agora aquele lixo do abismo infinito eu li e vi que nem o cd de tilha sonora dele serve pra alguma coisa.

    E eu vou repetir eu LI o arquivo por isso que tou comentando dois depois da postagem, eu tive de ler essa porcaria pra ver que é uma porcaria.

    E se ganhou algum premio lamento, outra coisa melhor podia ser escolhida. em vez disso ganhou a parta da casa (DE NOVO) achei que esse concurso tinha o objetivo de achar gente nova e novas idéias e escolher um cara que JÁ publica livros não serve pra esse propósito.

    - Thiago Miani

    ResponderExcluir
  3. Vamos ás respostas: 1º e 2º parágrafos: Eles lutam não apenas porque as pessoas sempre lutaram, mas sim pois lutando, as próximas lutas podem ser evitadas. Leia a frase de Demian X na página 30.

    3º parágrafo: Acho que Destreza mental e Velocidade de Pensamento são a mesma coisa, não? E conhecimento seria mais uma perícia. E eu não entendi a frase "Se isso não tem nenhum sentido pra vc favor ir pra faculdade já que como um bom blogeiro vc tambem deve ser um epecialista em fisica quantica."

    Sobre o D20, página 11: Material para o jogo e Observação para o dado. Lá diz que mesmo usando apenas o D20, EM MOMENTO ALGUM você só pode rolar 1d20. Você pode Rolar quantos d20s quiser, depende do que está fazendo.

    4º parágrafo: Vamos supor que um soldado te ataque. Você, com sua habilidade em mentir, fica em desvantagem, mas o que temos na página 29? Uma habilidade do Designer que se chama "Concepção e Edição Estética". Se o soldado usa um rifle, transforme seu braço em um lança-granadas! Assim você ganha um bônus de +5 (Armas Explosivas). ESSA É UMA BOA CUSTOMIZAÇÃO.

    5º parágrafo: Não conheço o Terra Devastada nem o Abismo Infinito, mas se está faltando alguma coisa neste RPG, use um atributo que todo mestre que se preze deve ter: O IMPROVISO.

    7º parágrafo: Sobre o concurso, que tal usar o sistema que você diz ter criado, já que acha o Mundo Perfeito tão imperfeito? E por último: Eles querem boas idéias, mas há alguma regra contra pessoas que já criaram sistemas participarem? É mais fácil conseguir uma boa ideia de quem sempre tem boas idéias. Stephen King tem dezenas de boas idéias, ótimos livros, só best-sellers.

    -Elder Darksoul.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos ás respostas: 1º parágrafo: Eles lutam pra NÃO LUTAR? Que filosofia de butiquim...

      2º parágrafo: Oras, se só tem um um atributo só existe uma forma de medir capacidades, logo um bom blogeiro é igualmente bom em fisica quantica ou culinaria.

      3º parágrafo: Cite dois testes que o livro sugira usar dois dados.

      3º parágrafo: isso só quer disser que sua facção é mais ineressante a customização que QUALQUER outro traço da ficha. ou seja com 4 jogadores 2 personagens são iguais. parabens campião novamente.

      4º parágrafo: Se for pro mestre resolver tudo pra que então eu preciso da merda das regras? ou as regras me ajudam ou vão pra o raio que o parta. Eu quero ferramentas pra usar e não um: "agora a pica é do aspira!". Esse argumento só prova o quanto o autor é um escritor medilcre e tem um produto inferior. Aqui um link que pode lhe mostrar isso mais facilmente.

      http://www.forjarpg.net/2012/12/falacias-do-rpg-parte-1/
      http://www.forjarpg.net/2012/12/mitos-do-rpg-parte-2/
      5º parágrafo: Por que eu não usei meu sistema, por que eu acredito que ele esteja incompleto e mais alterações são necessárias, mas tenha a bondade de ver por si e até me de sua opnião.

      http://www.mediafire.com/view/?pn9nkb97l3il70u

      E eu não disse que era proibido, apenas que era idiota. Usar a prata da casa e ainda dizer que é genial (quando nem o proprio autor usou os caminhos normais dele de publicação pra colocar a venda o produto) é o mesmo que assumir que é uma escolha errada. Mas quem sou eu pra dizer.

      E só pra informar Stephen King é um campo de estudo pra mim, muito bom, mas não conta com apenas best-sellers, ao contrario posso facilmente citar varios livros e contos dele que encalharam, alem de adaptações cinematograficas fracassadas da mesma, por melhor escritor q seja a serie do pistoleiro não vai ganhar adaptação cinematografica e A Névoa ganhou framboesa de ouro poucos anos atrás ele mesmo fala que odeia a adaptação de O Iluminado feito pelo Kubrick, um dos maiores gênios do cinema, na tevê Dead Zone (ou O Vidente no SBT) amargura audiência. E Nem vamos comentar de Colheita Maldida e o sexo com aliens de luz.

      Entretanto é verdade que graças ao Projeto King qualquer um pode filmar um roteiro com o nome de Stephen King pagando apenas um dolar, desde que seja um diretor iniciante, o que aumenta em alguns graus o numero de adaptações ruins de maneira consideravel.

      -Thiago Miani

      Excluir
  4. Olha só quem eu encontro aqui. Thiago, como você fez o favor de “copiar-colar” esse seu comentário em todos os blogs e redes sociais que você encontrou falando de Mundo Perfeito, vou retribuir com o meu próprio “copiar-colar”.

    Depois que você me mandou o link de um jogo que você supostamente teria criado, o “Séries em Série” (http://www.mediafire.com/view/?pn9nkb97l3il70u), E que você colou ai em cima também, eu só pude comentar o seguinte:

    “Nossa, Thiago, você “quase” me enganou. Eu poderia chamar o seu jogo, o “Séries em Série”, de genial, se ele não fosse um plágio descarado do Primetime Adventures, criado pelo Matt Wilson. Você nem se deu o trabalho de mudar os termos, apenas traduziu do inglês (Produtor, Cartas de Fãs, Orçamento). Usou a mesma mecânica com leves alterações que só pioraram o jogo em relação ao original. No inicio achei que era só um jogo com o mesmo tema, mas depois vi que se tratava de uma cópia mal feita.

    Assim, eu normalmente não me incomodaria em ver um trabalho copiado de outro solto pela internet, eu simplesmente não daria atenção, e costumo respeitar muito os feedbacks sobre meus jogos (sejam eles construtivos ou completamente destrutivos como o seu). Mas para alguém que aponta o dedo para outras pessoas e chama de amador, não-original e não-funcional, no mínimo me deixou frustrado, aliás, frustrado não, com pena.

    Da próxima vez, tenta pelo menos mudar os termos ou pelo menos procura uns RPG menos famosos pra chupinhar. E, pelo amor de Cthulhu, nunca mais chama ninguém de amador, você mostrou não ter moral pra isso.”

    http://en.wikipedia.org/wiki/Primetime_Adventures

    ResponderExcluir
  5. "pelo amor de Cthulhu, nunca mais chama ninguém de amador, você mostrou não ter moral pra isso."

    Resumiu meu sentimento em uma frase.

    ResponderExcluir

 

Parceiros

Direitos Autorais

Atribuição-NãoComercial-SemDerivados CC BY-NC-ND

Esta licença permite que você copie nossas obras e compartilhem-nas desde que deem crédito a nós, não as alterem ou façam uso comercial delas.